III Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária III JURA na UFRPE - 2016

Desde 2014 as Universidades brasileiras comprometidas com a questão agrária no Brasil vêm desenvolvendo a Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA) em parceria com a Escola Nacional Florestan Fernandes, ligada ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Já no seu segundo ano, a JURA aconteceu em 50 universidades de todo o Brasil, demonstrando o compromisso da Universidade Pública com esta temática.

A UFRPE vem participando desta atividade desde o início provocando o debate com a comunidade acadêmica, agregando professores e estudantes envolvidos ou interessados em atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre a questão agrária brasileira e o DCE Odijas carvalho de Souza apoia esse debate.

Neste ano, a III JURA tem como tema principal os 20 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, quando foram assassinados 19 agricultores do estado do Pará em um conflito com a Polícia Militar no dia 17 de abril de 1996. Este conflito aconteceu de forma bastante violenta e sensibilizou todo o Brasil e o mundo. Devido a esse violento ato foi definido que este dia seria o Dia Internacional de Luta pela Terra, quando são feitas denúncias da violência e impunidade no campo e a defesa da Reforma Agrária como instrumento fundamental de superação das desigualdades sociais, econômicas e políticas, e da violência e degradação ambiental no campo brasileiro.

A violência no campo se manifesta de diversas formas, porém a mais comum é a violência direta e física empregada contra a pessoa, a ocupação e a posse camponesa. Ela pode ser promovida por particulares ou pelo Estado e constitui principalmente em assassinatos, tentativas de assassinato, ameaças de morte, despejos da terra, expulsões da terra e outras formas que causam danos físicos ou psicológicos aos trabalhadores rurais e camponeses ou a seus bens.

Pernambuco, que no passado vivenciou muitas formas de violência no campo, ainda é marcado por esta triste história. De acordo com o último levantamento realizado pela Comissão Pastoral da Terra, no ano de 2014 aconteceram 45 casos de conflito agrário em Pernambuco, envolvendo aproximadamente 8.800 pessoas. São conflitos por terra, por água, ocupações e retomadas de terras e trabalho escravo, envolvendo agricultores sem-terra, indígenas, posseiros, trabalhadores rurais, quilombolas, pescadores, assentados e lideranças dos movimentos sociais.

Neste ano, a III JURA na UFRPE acontecerá nos dias 18, 19, 20 de abril, e irá abordar este tema que ainda indigna o povo brasileiro. Vamos abordar a violência no campo em Pernambuco relembrando os 61 anos das Ligas Camponesas, os 19 anos do Massacre de Camarazal e os 13 anos do conflito no Complexo Prado. Na programação teremos um debate sobre violência no campo com a participação de lideranças dos movimentos sociais, além de relatos e depoimentos de vítimas dessas violências, exposição fotográfica, oficinas e visita a acampamento e assentamento da reforma agrária.

Convidamos toda a comunidade universitária para conhecer, participar e refletir sobre a questão agrária em Pernambuco e a violência no campo, reafirmando o compromisso dos estudantes com esta questão.

Acesse: facebook.com/juraufrpe

Compartilhe!