Resultado das bolsas de residência na UAST

No dia 02 de março de 2016, participamos da reunião com Maria Rita, coordenadora geral das residências estudantis, na UAST. A pauta foi a conclusão da escolha e divulgação do resultado oficial dos alunos contemplados com a bolsa de residência estudantil, sendo 08 vagas femininas e 08 masculinas, totalizando 16 estudantes contemplados nessa seleção, aqui na UAST.

O DCE questionou sobre a conclusão e entrega, a iluminação, a segurança, mobilidade, assistência hospitalar aos futuros residentes e, principalmente, sobre os cortes, retenção ou redução das bolsas. E, de acordo com a coordenadora, não haverá quaisquer modificações, pois não houve corte financeiro na Assistência Estudantil. Além disso, as casas só serão entregues aos alunos quando todos os itens citados estiverem em ordem, garantiu ela.

Falamos com o aluno Francisco Jardel Moreira de Oliveira, futuro residente: “Toda problemática, referente aos alojamentos estudantis da UAST, parece estar, próxima de ter um fim. Depois de tanto tempo de espera a expectativa é grande, principalmente, por parte dos residentes que precisam urgentemente sair do aluguel, mesmo sabendo que terão que arcar com os custos para alimentação, pela inexistência do R.U. na UAST. No entanto, os alunos continuarão sendo assistidos com a bolsa residência. E também a casa estará equipada com camas, geladeira, micro-ondas, fogão, máquina de lavar, então, o aluno levará apenas as roupas e objetos pessoais. Uma indagação que surge é a dúvida sobre a parte física, pois cada quarto terá que suportar seis residentes e a cozinha terá que suprir uma demanda de mais de 40 alunos que terão que preparar sua própria comida. Resta-nos aguardar o término das obras e cobrar tudo o que foi prometido, uma vez que só ter moradia não é o bastante, é necessário viver com qualidade e segurança. Sendo essas primícias básicas dos direitos humanos e fatores de suma importância no desenvolvimento acadêmico do indivíduo”.

Assim como Jardel, todos os alunos, não só os futuros residentes, têm dúvidas sobre o funcionamento das casas e até mesmo, medo por a unidade distar 3 km da cidade. Essa discussão deve ser constante para que realmente, o aluno more com segurança.

Compartilhe!